terça-feira, 14 de novembro de 2017

EDUCAÇÃO E LAGRIMAS
Por Robson Caetano Da SIlva Prof de educação Física
 Hoje eu assisti a uma matéria sobre o  Silvio de Oliveira Alves, que chegou a uma das condições mais delicadas que um ser humano pode chegar, e mais grave ainda a uma das situações mais degradantes do profissional, apesar de ser digno, pedir, a mesma situação em determinadas condições expõe a natureza humana de forma gigante ou degradante, e é no mínimo digno das mais amplas discursões.

 Imaginem você chegar em casa e olhar para sua família sabendo que não poderá dar o mínimo para eles que é o alimento do mês; um professor pedindo ajuda para pagar suas contas do dia a dia, e o pior ter que pedir a mulher para que não diga aos filhos o que esta fazendo com medo de que, eles possam ter vergonha dele, por pedir num sinal de transito, professor Silvio, e essa matéria me fizeram chorar de raiva deste país, que é tão maravilhoso, e que tem em seu quadro politico algumas pessoas que sequer estudaram para ter os salários que tem, e olha que não atrasam, pois o dinheiro dos impostas não param de chegar a Brasília.

 Eu fiquei pensando como é possível, um profissional que tem a nobre missão de levar um ser humano de um Brasil afegã, a um Brasil Suíço través da educação passar por privações tão duras, e com família, casa, automóvel, obrigações que demandam recursos financeiros para serem resolvidas, ficar sem salários por meses, isso é desumano é falta de bom senso, de educação, respeito, e as minhas lagrimas estão a rolar por minha face por pensar que o Brasil todo vive crises que destroem o cidadão, e hoje já não é mais apenas o favelado quem sofre, aliás lá nas favelas vivem boa parte dos professores que hoje dão aula, e me dá um aperto no coração, não por viverem numa favela, e sim por perceber que uma pessoa assim não pode ajudar mais dentro da própria comunidade, onde tem tanta criança precisando de boa educação, pois não há como ele sobreviver com a miséria de salário que tem, e quando tem.

 Minha esperança é que a reforma politica seja levada a sério, que acabe o corporativismo dentro de Brasília, e por toda rede politica no Brasil, pois esse país aqui de pobre não tem nada, pois arrecada bem de imposto, mas distribui mal a renda abrindo espaço para mal feitores de terno e gravata.

ACORDA BRASIL!!!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Consciência? Ou Respeito!
Por Robson Caetano
Meu respeito a todas as negras e e negros deste país e do mundo, por isso eu amo a gente de cor, a gente negra, a gente que faz e não tem reconhecimento, e principalmente aos que nos abriram as portas nos séculos passados!!

A minha consciência me diz que devo respeito a nomes como Francisco Carregal, o primeiro negro no esporte deste país, um jogador de futebol do Bsngu Atlético Clube,, abrindo a porta para um novo universo para os negros deste país.

 A  José Teles Da Conceição primeira medalha olímpica do atletismo em 1952 na cidade de Heldinki na Finlândia, o atleta saltou 1 metrô e 90 centímetros conquistando bronze.

A Adhemar Ferreira Da Silva bi-campeao olímpico do salto triplo Helsinki 1952 e Melburn 1956, criador da volta olímpica e adido cultural na Nigéria, compositor, ator, pintor e porque não um dos maiores representantes do marketing esportivo deste país.

Ao carismático João Carlos De Oliveira medalhista olímpico e que durante anos ostentou o recorde mundial do salto triplo com 17 metros e 89 centímetros aliás prova de Adhemar, e que também produziu outro gigante.

O que dizer de Nelson Prudencio..., calma deixa eu refazer, Dr Nelson Peudencio que conquistou 2 medalhas olímpicas e de quebra protagonizou contra um soviético um dos maiores duelos da prova na Cidade do México com mudanças constantes de liderança e um recorde mundial que, foi mudando de mais até o último salto, Dr pois ele proceguit na vida acadêmica os ideais que seriam importantes em sua vida como professor.

Que tal mudarmos de ares e mencionar Luiz Gama, que foi o primeiro advogado negro que por não poder cursar direito, por direito, fez como ouvinte todo curso e munido dos conhecimentos adiquiridos advogou, aconselhou, orientou e libertou uma Ligiao de negros deste país e que teve seu reconhecimento apenas em 2015, ele que viveu entre 1835 e 1882, poxa levou tempo esse reconhecimento !

Eu poderia ficar aqui sitdndo incentires, médicos, poetas, escritores, professores, cientistas etc..., que por conta da coragem daqueles que passaram e de forma inocente romperam com padrões estabelecidos, nos dão a chance hoje de sermos muito mais negros orgulhosos de um povo que junto com brancos, amarelos, pardos fazem um país melhor, mas que ainda sim precisa respeitar mais no negro deste Brasil!

Como pudemos perceber tudo que temos foi conquistado com resultados e pensamentos positivos e neste mês de novembro fica o registro do meu agradecimento a todos nós negros de pujança deste país, do mais humilde limpador de latrina ao mais importante que já foi presidente da nação importante do mundo.

Faço esse agradecimento não por ser mês da convciencia, e sim pelo fato de respeitar a história de uma raça influente sim, importante sim, possível sim, grande inventores sim, influenciadores sim, mas que encontram dificuldades impostas por uma minoria ao seu lugar de fato nesta sociedade capitalista que amassa e dificulta a vida dos que vivem à margem, que são a maioria.
www.robsoncaetanodasilva.com.br
#robsoncaetanomedalhistaolimpico
#robsoncaetanooalestranteolimouco
#écoisadepreto

domingo, 15 de outubro de 2017

Chances in life Robson Caetano

Oi! Olá! Como vocês estão?

É *EM CASA* que as crianças devem aprender a dizer:
01 - Bom Dia
02 - Boa Tarde
03 - Boa Noite
04 - Por Favor
05 - Com Licença
06 - Me Desculpe
07 - Me Perdoe
08 - Muito Obrigado
09 - Grato
10 - Errei
É *EM CASA* que também se aprende:
01 - Ser honesto
02 - Ser pontual
03 - Não xingar
04 - Ser solidário
05 - Respeitar a todos: amigos, colegas, idosos, professores, autoridades
Também *EM CASA* é que se aprende:
01 - A comer de tudo
02 - A não falar de boca cheia
03 - A ter higiene pessoal
04 - A não jogar o lixo no chão
05 - Ajudar os pais nas tarefas diárias
06 - A não pegar o que não é seu
Ainda *EM CASA* é que se aprende:
01 - A ser organizado
02 -  A cuidar das suas coisas
03 - Não mexer nas coisas dos outros
04 - Respeitar regras, usos e costumes
05 - *Amar a Deus*
Porque *NA ESCOLA* os professores devem ensinar:
■ Matemática
■ Português
■ História
■ Geografia
■ Língua Estrangeira
■ Ciências
■ Química
■ Física
■ Biologia
■ Filosofia
■ Sociologia
■ Educação Física
■ Artes
E apenas reforçam o que o aluno aprendeu *EM CASA*!!!
*NA ESCOLA* NÃO se aprende sobre:
1 - Sexo
2 - Ideologia de Gênero
3 - Ativismo LGBT
4 - Comunismo
5 - Esquerdismo
6 - Islamismo
Porque com o que se aprendeu *EM CASA* respeita-se tudo e todos.
*"UMA CAMPANHA CONTRA A INVERSÃO DE VALORES E A FAVOR DA FAMÍLIA E DE UM MUNDO MELHOR!!!"*
*Repassem a todos os seus contatos!!!*
*Lutemos e oremos pelas nossas famílias!!!*
Fica a dica
#robsoncaetanomedalhistaolimpico
#tobsoncaetanopalestranteolimpico
🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻

Robson Caetano convida

Ator Pedro Cardoso DETONA a Pornografia da Globo. Veja:

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

VERGONHA NÃO SAUDADE SIM.
   Por:Robson Caetano Da Silva       
 Oi! Olá! Como vocês estão?
 Fico aqui pensando..., como seria o Brasil se tivéssemos mais noção de bom senso? Eu não encontro respostas, pois me parece que isso ficou perdido em algum lugar, será que ficou na década de 1960, será que ficou logo após o final da ditadura, ou será que foi no dia em que Pelé disse "vamos olhar pelas nossas crianças", afinal as crianças de 40 anos atrás são alguns dos monstrinhos que hoje mandam neste pais, e mandam muito mal, a ponto de nos deixar a todos envergonhados, pois sabemos que podemos ser muito melhores que assassinos, estupradores, assaltantes, corruptos, etc..
 Hoje eu acordei e fui em algum lugar do passado resgatar um pouco de mim, e do que eu realmente sou hoje, e encontrei lembranças agradáveis, memórias incríveis com pano de fundo incrível chamado atletismo, e todas as pistas deste mundo por onde passei..

 Dos países que foram conquistados em guerras e transformados em blocos socialistas, a países Nórdicos por onde Vikings passaram deixando sua marca, de um oriente tradicional a um ocidente moderno cheio de produtos deste oriente com mão de obra barata.

 Entre principados como Mônaco, Andorra, România, com suas historias sobre seus reis e príncipes e suas peculiaridades, de recordes, e corridas memoráveis passando por tantos países, vilas, Freguesias que hoje senti saudade, saudade não das competições, mas dos aromas, do tipo de vida saudável e deliciosa que o velho continente proporciona, dos amigos que ficaram neles, para proporcionar a suas famílias uma vida digna, diferente da que levamos aqui neste país que se tornou covarde com o cidadão, deste país que está defendi sempre, com as palavras quando alguém se referia de forma jocosa a ele, ou com minhas pernas correndo para mostrar que somos heróis de verdade, muitas das vezes esquecidos, mas que ainda sim defendemos dias melhores para o Brasil.
 Foi partindo deste país que, conquistei o velho continente, o oriente, e claro o novo, e me lembrei das aventuras com muitos que junto comigo cresceram como atletas de verdade e homens de caráter!!
#robsoncaetanomedalhistaolimpico
#robsoncaetanopaestranteolimpico

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O ADEUS A LENDA.
Por Robson Caetano Da Silva
Oi! Olá! Como você está?
 Eu estou triste por saber que não teremos mais a alegria deste menino Chamado Usain Bolt, e ao final do campeonato mundial onde nossos heróis brasileiros representaram nosso país, a festa mesmo não tendo desempenho brilhante foi da lenda jamaicana, aliás, depois de Bolt tudo volta ao normal nas grandes competições; infelizmente no quesito carisma, pois não vamos ter outro igual tão cedo, portanto o raio que caiu parece que foi outro dia, nos fez correr com ele, e curtir mais o atletismo por causa dele, pois desde 2008 ele dominou absoluto os 100 e 200 com bônus do 4/100, no qual teve uma medalha caçada por conta de uma companheiro dopado, que não merece sequer o nome nesta pequena homenagem ao Raio..

 Para se ter uma ideia da importância deste atleta, basta dizer que em 4 edições de jogos olímpicos, saiu de mero coadjuvante em 2004 para medalhista é recordista olímpico e mundial e de quebra fez o mundo esquecer por completo nomes como Carl Lewis, Michael Johnson, e com certeza deu orgulho só seu compatriota canadense Bem Jonhson, pois com sua simpatia conquistou uma legião de fãs dentro e fora das pistas de atletismo. 

 Sua presença era tão esperada quanto um time inteiro de galácticos do Real Madrid e atletas de outros esportes como Michael Phelps recordista absoluto de medalhas olímpicas se mostrou desse carismático atleta jamaicano, que contrariando todas regras morfológicas se mostrou competitivo no momento certo para superar suas dificuldades e seus adversários.

 Que Deus o proteja em sua nova fase e nos dê em breve um atleta que transcenda as fronteiras fazendo com que todos torçam por ele!!
Vida longa e boa sorte a Usain Bolt.
#robsoncaetanomedalhistaolimpico 

CORPO DOPADO, MENTE DOPADA!!
Por: Robson Caetano Da Silva
  Numa escala de 0 a 10, os 100 metros seria a prova de maior escala e interesse no atletismo, é como se observássemos o atacante numa partida de futebol, aquele momento mágico que transforma drible de corpo, ginga, técnica num gol, e se é de placa não importa o time, pois ele será ovacionado, os 100 metros tem a capacidade de manter respirações interrompidas por um breve momento entre o set, ou pronto e o tiro de largada, e o gol será marcado pelo mais rápido.

 Estudos provam que a quantidade de adrenalina despejada no organismo do atleta antes da prova seria o suficiente para neutralizar um ser humano comum, e por isso esses caras são treinados a exaustão, e é ai que entra um componente que aumenta os agentes bloqueadores desta descarga de adrenalina, pois o cérebro precisa estar em absoluto estado de concentração para realizar esta que é chamada de prova rainha do atletismo, e lá haje todo trabalho produzido pelas substancia proibidas, que vão de inibidores de apetite, a estimulantes musculares para diminuir o tempo de recuperação, e aumentar a disposição muscular. "O DOPING"

  Mesmo em meus anos como jornalista/ comentarista de atletismo nos meios de comunicação evitei falar sobre esse assunto por uma questão pessoal, pois fui muito prejudicado por ter que competir contra atletas dopados, e ter perdido oportunidades milionárias para mudar minha vida, enfim voltando ao assunto. o doping dá a condição ideal como apoio para o atleta entrar num novo patamar. E é como jornalista/comentarista olímpico, que questiono; porque os fracos necessitam do apoio ilícito para percorrer uma estrada, uma rua, uma raia? A resistência dá ao individuo a capacidade de suportar a dor, e treinado pode levar a resultados incríveis; dito isso eu gostaria de esclarecer um episódio, que para mim não é nem um pouco agradável, a famosa corrida da vergonha, 29 anos atrás durante os jogos olímpicos de Soul na Coreia do Sul..
  Vergonha pelo simples fato de 6 dos 8 finalistas terem se envolvido com doping, mas vamos ao que interessa; porque os caras se doparam, e muitos ainda se dopam? Para suportar a nível celular, muscular uma carga de treinamento acima normal, por tanto de maneira bem simples, dá ao atleta a certeza de que o corpo vai suportar a pressão.

 O que Ben Jonhson fez, não foi deferente do que fez Carl que está do lado direito do canadense, Lindford, que esta do lado esquerdo Desay sétimo lu, Raymond que se lesionou na prova, Denis quinto lugar, Eu Sabiá que competiria contra Atletas dopados. Esse pódio é uma vergonhoso!!!

  Eu já enfrentava no Brasil atletas dopados, a Diferença é que os daqui tinham o psicológico muito fraco e perdiam para a falta de treinamento adequado e a para suas condições atléticas e os Canadenses, iam para a Austrália, viviam nos EUA, e tinham todo suporte para enfrentar o treinamento adequado, treinamento anos Luz a nossa Frente. 
  Para vocês Terem uma ideia correr com a mão espalmada foi uma descoberta para os velocistas Brasileiros, depois que Tom Tellez técnico da universidade de Houston convenceu seus atletas mais jovens, e uma nova geração, de que, o arrasto na prova seria menor, isso em 1977, nos começamos de forma empírica, quase como uma brincadeira em 1983, ou seja tudo que foi desenvolvido aqui no Brasil, foi descoberto pelo atletas que tinham a chance de sair para competir fora, e eram poucos, ou os técnicos que iam para a Alemanha aprender sobre treinamento, enquanto isso os talentos não vingavam por total falta de troca de informação, numa fase em que eu tinha que realizar treinamento mental antes de dormir, e ao acordar para visualizar a corrida mais perfeita para meu estilo.

  Por isso me pergunto se fosse Americano, Canadense Ou Britânico, teria sido diferente? Eu teria encarado de igual para igual esses atletas? Teria um documentário falando sobre essa covardia feita comigo? Acho que sim.., pois uma geração que abusou dos hormônios do crescimento, e dos inibidores de saciedade,  foram falsos protagonistas da história, e ainda tem seus nomes ecoados por muitos, mas que perderam o meu respeito, por isso eu posso garantir que, nunca dei valor a drogado consciente; EU TREINEI MUITO, e até corri abaixo de 10 segundos, no entanto vivíamos num mundo tão dividido e que valorizava mais as nações acima da linha do equador que meu resultado foi desconsiderado e transformado no que hoje é uma obsessão por atletas, técnicos e até imprensa, no entanto 10 segundos resumem uma vida de trabalho duro e dedicação e não de uso de doping e me orgulho disso!
#robsoncaetanodasilvamedalhistaolimpico

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

FILOSOFIA OLIMPICA O LEGADO! SÓ QUE NÃO? PORQUE NÃO?
 Por Robson Caetano Da Silva 
Será que uma cidade fantasma se ergueu em Jacarepaguá, ou Barra da Tijuca como diz no IPTU do endereço?
Uma solução em minha opinião seria aproveitar o espaço e realmente criar um espaço voltado para a pratica da atividade física, mas primeiro traria atletas medalhistas olímpicos residentes no Rio de Janeiro para receber unidades nos prédios e ocupar dando um ar ainda mais olímpico a local, e depois realizaria obras para construção de arenas de vôlei de praia, de quadra, atletismo, tiro com arco, futebol entre outras, pois espaço ali é o que mais tem, e atleta pagando aluguel também, então reuniria o útil e o agradável.

Uma solução em minha opinião seria aproveitar o espaço e realmente criar um espaço voltado para a pratica da atividade física, mas primeiro traria atletas medalhistas olímpicos residentes no Rio de Janeiro para receber unidades nos prédios e ocupar dando um ar ainda mais olímpico a local, e depois realizaria obras para construção de arenas de vôlei de praia, de quadra, atletismo, tiro com arco, futebol entre outras, pois espaço ali é o que mais tem, e atleta pagando aluguel também, então reuniria o útil e o agradável, não seria incrível cruzar com atletas medalhistas olímpicos como Giba, Tande, Gigio, Robson Caetano, Adriana Bear, Arnaldo de Oliveira, Shelda, Marcus Vinicius e tantos outros com histórias incríveis para dividir com crianças, jovens, adultos e relembrar aos da melhor idade que torceram por todos eles.

Quantos atletas medalhistas olímpicos existem no Rio de Janeiro, eu dirá no Brasil? Não chegaremos a 1000 atletas; agora, temos 6.500 apartamentos, dos quais pouco mais de 250 foram vendidos na cidade dos atletas em Jacarepaguá, essa conta precisa de incentivo para que, novos clientes queiram investir naquela área um pouco fora de mão da cidade, pois não há atrativos, e ter esses recursos humanos com suas medalhas ali poderia ser uma forma incrementar algumas vendas, no entanto repito, é preciso investir numa infra esportiva o que seria o diferencial no local.

Curioso é o departamento de marketing das empresas envolvidas no empreendimento não terem pensado nesta possibilidade ainda, e com isso a cidade olímpica está com luzes apagadas em seus interiores, e uma área do tamanho do Baixo Gávea para ser preenchido com novas obras que poderiam perfeitamente ser na linha da atividade física e qualidade de vida.

Nessa hora eu fico pensando em como seria bom se eu fosse um extremamente rico, pois minha visão para aquele local seria a de realmente iniciar ali uma cultura e filosofia esportiva, com escolas cm educação pautada no esporte, cultura, shopping com lojas de moda esportiva, com todas as marcas importantes, uma filosofia completamente esportiva, e muito voltada para uma nova geração de esportistas, e famílias ligadas ao esporte cm seus ídolos transitando entre eles e até dando aula para eles.

Se o meio é responsável pelo ser, então que ele seja saudável,  esportivo, até com uma TV interna de internet com todas as ações esportivas e canais falando sobre esporte olímpico, uma verdadeira MECA do esporte olímpico, eu sonho e se é utopia eu quero e preciso acreditar na mudança consciente de nossa futura geração.

Ah e só para refrescar um apartamento simples no Saint Michael dentro da vila custa 1 milhão 250 mil reais e esse era o preço do ano passado, agora independente do local, é um super apartamento.., só que não; porque?

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

E LA SE VÃO 21 ANOS, MAIOR IDADE!
Por: Robson Caetano Da SIlva
 Completa 21 anos hoje, a conquista de um dos maiores prêmios de um time no atletismo, a medalha de bronze no revezamento quatro por cem metros.  Exatamente as 17:30 nós estávamos nos dirigindo para a pista do estádio olimpico em Atlanta na Geórgia, para darmos sequencia a uma história que se iniciou com Nelson Rocha Dos Santos, Altevir Araujo, Katsuhico Nakaya, Milton Craca, Paulo Paulo Roberto Correia, João Eugênio Rui Da Silva,, Delmo Da Silva, e naquele estádio estava a síntese de que não existe time A, B e sim um Brasil para defender. Arnaldo Oliveira primeira perna, Robson... Caetano Da Silva segunda perna, Edson Luciano Ribeiro e André Domingos, quatro negros brasileiros com um unico desejo, conquistar aquela medalha que nos honra até hoje como atletas olimpicos, e que deu a certeza de que, outros poderia chegar, e chegaram, Claudio Souza, Claudinei Quirino, Vicente Lenilson foram além, e melhoraram o que se iniciou em 1979 com a derrota de um time americano para 2 brasileiros e 2 cubanos numa copa do mundo de atletismo!!

  O que faz da conquista da medalha de bronze em Atlanta uma
inspiração, é o fato de que, 4 caras de clubes diferentes, se unirem e entenderem da responsabilidade e da oportunidade de: conquistar as suas primeiras medalhas, como foi para o Edson e o André, e no caso do Arnaldo de Oliveira, reparar uma injustiça que havia ocorrido na olimpíada anterior, pois se tirassem os dopados ele estaria na final dos 100 metros junto comigo, e quando corremos a eliminatória de forma brilhante nos ocorreu a verdadeira situação, pois tínhamos treinado bem e as passagens estavam encaixadinhas, era apenas correr e realizar com o mínimo de erro possível e encerrar a carreira de maneira digna, tanto para o Arnaldo, quanto para mim na seleção brasileira. essa medalha que estou beijando é a prova de que; um time fechado, unido, e lutando pelo mesmo ideal pode transformar o sonho em realidade dando orgulho a quem começou essa aventura a tanto tempo.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

CULTURA NUNCA É DEMAIS!!
Por: Robson Caetano Da Silva 
 Amigas e amigos assisti a um espetáculo realmente sensacional, com "Rio mais Brasil", eu realmente fiz uma viagem maravilhosa através do universo de Darci Ribeiro, um mergulho na nossa história através deste musical, e gostaria de que vocês possam assistir também a este lindo musical, uma emoção atrás da outra, com pitadas cômicas gentis, para cantar o Brasil, consegui sentir a força de cada capital cantada a plenos pulmões por esses artistas incríveis, portanto fica a dica.


 É bom saber que temos um material humano tão especial, artistas que se comprometem e mergulham nas personagens e o próximo espetáculo que pretendo assistir é "Cartola o Mundo é um moinho". Aproveitem as possibilidades que estão se apresentando com musicais que contam a história do Brasil e divirta-se! Aproveitar para conhecer e se emocionar com as nossas histórias com nossos artistas, que transformam um punhado de ideias em histórias extremamente lindas, para assim podermos dizer com orgulho que nós temos banana, mas também temos Rosas, e elas exalam um perfume de conhecimento e beleza! 






segunda-feira, 24 de julho de 2017

A COMUNICAÇÃO NOS NOVOS TEMPOS.
Por: Robson Caetano Da Silva 
 Apresentar soluções de comunicação na era da velocidade, foi para mim uma experiência sensacional, pois estamos vivendo sob a influencia de uma geração cercada por informações boas e não por todos os lados, e a filtragem destas informações depende e muito das grandes empresas que levam conteúdo para as pessoas.
 Somos frutos do meio e uma das coisas que disse durante um talk reunion foi que; não podemos mais banalizar a vida, enaltecer a morte, deixar de colocar os errados como protagonistas de uma história em nosso país que está vivendo uma onde de péssimas informações, e como frutos d meio acabamos nos conformando com esta situação, o que não é normal.
 Temos que nos adaptar ao que nos faz crescer como seres humanos e não o que nos leva ao caos; as pesquisas feitas pelo IBGE apresentam uma realidade caótica sobre  esporte em nosso país, e sobre as chamadas vilas olímpicas, isso mostra uma ferida social, cultural, financeira que precisa ser remediada, com educação e novos modelos a serem seguidos em nosso país.

#robsoncaetanopalestranteolimpico #ajudandopessoas
https://youtu.be/ZaCAGPLDbBw

Robson Caetano entrevista

sexta-feira, 14 de julho de 2017

1 Robson Caetano admirado com a perfeita criação da natureza.

Oi! Olá Como vocês estão?
Agradecer por esse milagre em nossas vidas, pois viemos ao mundo com uma missão muito importante e que estamos esquecendo de colocar em pratica na sua essência; AMAR o próximo como a nós mesmos. A cada vida que é ceifada deste mundo, de maneira estupida me parece que todo trabalho de uma mãe é jogado fora, a cada maldade cometida contra outra vida, fico me perguntando porque!?
Temos que celebrar e agradecer por nossas VIDAS! 


MILAGRES OU MESAGENS DE DEUS!! 
Por Robson Caetano Da Silva medalhista olímpico recordista medalhista jornalista, professor de educação física.

Acredite na energia d AMOR.

Me fizeram uma pergunta sobre FÉ, enquanto preparava uma apresentação para o Hospital São Vicente de Paula, eu pensei numa das coisas que aprendi com minha família, especialmente com minha Bisavó Maria Eugenia; AME AS PESSOAS E ACREDITE NELAS!

 Minha resposta foi que por alguma razão inexplicável uma fã chamada Leticia Cagnin, estava me proporcionando a chance de me aproximar de Deus com seu convite para participar deste evento.

 Eu acredito em milagres, pois nós somos o milagre da vida, pois o
Nascimento de mina filha Luiza.
fato de ser mais forte, resistente para achar um caminho no ventre da mãe sem nada enxergar, sem sentir odor de nada, ou ouvir, apenas sentindo o calor de uma região do corpo de nossa mãe e depois de tudo isso ainda encontrar o lugar certo para estabelecer essa fusão entre pai e mãe, para nos tornar um ser humano completo, independente de como venha ao mundo, é um milagre, e existem uma maioria que na correria esquece de agradecer por esta dadiva, e conquista que foi conseguida a duras penas.

 Eu sou temente a Deus desde que me conheço por gente, não sou ligado as imagens produzidas pelos homens, mas sou ligado a forma com que a energia circula e como ela é capaz de nos proporcionar bem estar quando usamos ela de maneira positiva. Eu acredito no ser humano, e da maneira mais inteligente que conheço abraço os meus amigos, amo minha família e concedo o perdão aos que mal dizem, e que de alguma forma me fizeram mal, afinal não estamos aqui para julgar e sim para ajudar.

Um pai que pede foto na rua com filha, e sequer sei o nome rsrs..
 Todos nós temos um proposito na vida, busque aquele que mais se adequa a suas habilidades humanas, evite o mal, proteja seu espirito, cuide do templo da alma, faça com que valha a pena ter passado por essa vida, não por você abalar quando chega, mas pela falta que fará quando partir.

 O mundo está repleto de momentos maus, de tirania, de lobos vestidos de ovelha causando o mal a muitos de nós, precisamos enfrentar essas forças com a emoção mais poderosa que temos o AMOR, pois com ele destruiremos as causas da maldade, nos aproximaremos desta energia boa que nos coloca em contato com nossa própria essência, e daremos as futuras gerações os exemplos que eles necessitam; pensem nisso e reflitam sobre FÉ.

De joelhos e pés descalços agradecendo sempre!
 Eu vou finalizar fazendo uma afirmação, que até para os mais céticos que, em algum momento na vida nos pegaremos pensando nos milagres da VIDA, que os espíritos são um fato, e que a dor da perda, ou eminencia, da perda, vai te levar a cair de joelhos e orar a Deus por seus milagres, portanto não espere a dor chegar, prepare seu espirito, agradeça todos os dias e faça por AMOR, com AMOR, pois somos o resultado do AMOR, e existe uma energia que recebe essas informações e de alguma forma chega a um espectro muito maior e a partir dai a verdade se estabelece pra você.

 Um forte abraço com muito AMOR, e CARINHO para cada um de vocês que investiram alguns minutos para ler meu texto!
www.youtube.com/superRcaetano
www.robsoncaetanodasilva.com.br

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Cuidando de pessoas, eu cuido de mim.
      Por Robson Caetano Da Silva
Ser professor de educação física é grande privilégio, pois cuidar de pessoas ou dar as pessoas motivação para que eles possa atingir metas em suas condições físicas, no entanto mexemos com autoestima e confiança delas, e essa responsabilidade é algo que deve ser respeitado demais, pois assim como eles eu também coloco meu carinho, amor e muito respeito em cada atividade que realizamos. Muitos se apresentaram com lesões físicas e emocionais que cuidamos aos poucos e nesses 7 meses e meio conseguimos juntos eliminar peso, e muita baixa estima, afinal somos o time #ativaidade #preparavai rsrsrs...
 Além disso esse time me tirou de uma tremenda onda de
depressão, pois depois de anos trabalhando em televisão, eu estou fora da caixinha colorida, e a barra pesou, não por conta do salario, e sim pelo prazer que sempre tive em esta na telinha falando sobre esportes olímpicos, e ou comentando um evento de atletismo, pois acho que sei fazer direito, infelizmente hoje estou aguardando e com muita esperança de retornar num projeto campeão, mas sem desespero, pois não vale a pena.
 Hoje já não consigo me enxergar sem minhas Pimpolhas e Pimpolhos, que me estressam as vezes, que me pedem conselhos, que me enxergam como referencia, e que principalmente me dão uma tremenda alegria quando eles realizam as atividades, e se sentem vivos e ganham o dia, muitas das vezes por me soarem quando vou demonstrar um exercício, ou realizo junto com eles rsrsrs..
 Ser uma ponte positiva para mudança de hábitos, e tomada de decisões que fazem deles melhores me deixa realmente muito feliz, e como não procuro mais por atletas, já que o Instituto Robson Caetano está no vermelho e cheio de problemas por conta de ter deixado de receber do governo do estado do Rio de Janeiro recursos para dar continuidade aos projetos que nele havia. Eu que lá tenho como prioridade "qualidade de vida", e sei que todas as questões relativas a preparação física são esclarecidas apenas por realizar as series de movimentos pelos alunos.
São como crianças grandes que recebem seus abraços e beijo quando chegam e principalmente recebem amor, porque seria impossível sem esse amor existir dedicação ao que é proposto nas aulas. Enfim sou grato a Deus por ter esse time tão especial, e que venham mais alunos para que a família do  #robsoncaetanomedalhistaolimpico , de running activities me dê ainda mais alegria.




sábado, 8 de julho de 2017

Todas as profissões são lindas, mas este texto que recebi, define bem a que eu escolhi, além de comunicação social.
Ser *PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA* é...



É acordar todo dia muito cedo... E estar disposto a fazer o dia de muitas pessoas melhor...

É ter tido que enfrentar várias críticas, quando fez a escolha para o vestibular...

É ter estudado horas a fio, para entender bioquímica, Fisiologia, Cinésio... E ainda ter de ouvir que vamos _"jogar bola"_, na faculdade!


É amar o movimento humano, e entender o quão complexa é esta ciência!

É poder ensinar um pouco de dignidade, perseverança, e determinação aos seus alunos, que perplexos ficam quando conseguem atingir seus objetivos, coisa que só quem acreditava era você!

É ver o brilho nos olhos deste aluno, que te admira pelo que você é! E por ver o quanto acredita nele!
É trabalhar, mesmo quando se está de folga, pois nosso trabalho exige planejamento e organização, para que seja um sucesso, e normalmente não somos pagos por isso!

É AMAR o que fazemos, e sentir-nos realizados, mesmo ganhando razoavelmente pouco, para o empenho que empregamos nas nossas atividades!

É ser a "tio" Legal, nas festas infantis, porque todos adoram você, pois sua essência é diferente!
É ser paciente, didático, carismático, envolvente, empolgante, preocupado, animado,contente, e muitas outras características ao mesmo tempo!

É ter de vestir o SORRISO como uniforme de trabalho, mesmo quando se está cansado, triste, estressado ou irritado!

É ser um pouco psicólogo, nutricionista, massagista, fisioterapeuta, médico, conselheiro, professor, amigo e mais outras tantas coisas que fazem de nós o modelo completo de profissional!

Mas acima de tudo, é ser quem realmente somos! Ter a vontade de mudar o mundo, e fazer algo por isso... E ter a certeza que a cada pessoa que alcançamos, conseguimos melhorar uma vida, que pode melhorar outras vidas, formando uma cadeia enorme de força de vontade, gentileza e alegria!

Robson Caetano fast circuit

Vamos exercitar ???

quinta-feira, 22 de junho de 2017


FUTURAS GERAÇÕES.
Por Robson Caetano Da Silva
 Enquanto escrevia estava ouvindo a televisão, acho que por um habito muito displicente de preencher o vazio da casa, afinal não é fácil estar cheio dos melhores sentimentos te blindando contra qualquer coisa que venha de fora para colocar uma ferida na vida da gente, então eis que se inicia um filme nacional e por uma dessas razões inexplicáveis não mexi no controle de canal para mudar.

 Um drama muito bem elaborado para contar a história de uma família que jovem que tem no seu único filho uma anomalia congênita, chamada síndrome de down..., e assim eu fui deixando de lado as teclas de meu computador, as distrações advindas do facebook, instagram, e me peguei assistindo a uma história linda, sobre essas crianças especiais e seus pais ainda mais especiais, onde você vai da admiração pela mãe, até uma certa raiva do pai.

 Agora porque estou contado essa isto? Para dizer o quão importante o esporte se faz na vida das pessoas, no filme, o pai se revolta com a condição do filho enquanto a mãe dedica-lhe amor, carinho e proteção, e por mais que o pai se esforçasse não conseguia enxergar o amor que tinha pelo filho. tem natação, e futebol.

 A relação do casal não suporta a pressão que o pai deposita nela, por ter uma criança diferente, a criança nasce durante a copa de 1982, quando houve aquele desastrosa tropeço da seleção brasileira na Itália, quando Paulo Rossi marcou 3 gols  e se já tivesse essa história de pedir musica com certeza ele iria pedir uma musica de Pavaroti rsrsrsrs...

 O tempo passa, e durante a copa de 1986 acontecem novas descobertas, passa pela copa de 1986, e aquele pai que achava que a criança morreria logo, precisa passar pelo susto de perder a criança para entender a importância dela em sua vida, em função de desacreditar no futebol do Brasil aquele escritor, professor de literatura passa a não assistir futebol, uma das coisas que ele mais adorava fazer.

 Em 1994 o filhotinho já crescido, campeão de natação, mesmo que não tendo chegado em primeiro pede ao pai para assistir a final da copa com ele, e aquele pai diz "assiste você sozinho, que depois o papai te leva para comer uma coisa gostosa", eis que aos poucos ouvindo a vibração do filho, ele se junta ao menino e passa a torcer por uma seleção que tinha Romário, Bebeto, Tafarel, Mauro Galvão, Um Ronaldinho menino ainda, Branco e cia om um Carlos Alberto Parreira, Zagalo na comissão técnica e o titulo vem num chute de Baggio passando acima do lado esquerdo do gol do Brasil, e quando me dei conta estava sorrindo a toa, com lagrimas nos olhos por conta de uma história que podia ser com qualquer pessoa.

 De certo não escolhemos nossos pais, eles não nos escolhem, no máximo planejam quando a gente chega, mas a partir do momento que vem, esse laço se estabelece de forma sutil para o pai, e incondicional pela mãe; eternamente filhos, eternamente pais e com uma questão que me deixou intrigado, como é que deixamos a geração da década de 60, 70 e 80 ficar tão destruída, sem amor pelo próximo, sem Deus no coração? Que tal não deixarmos mais perder para valorizar, que tal sermos mais HUMANOS?!  

 Parabéns Marco Veras e Debora Falabela pelo belo trabalho, alias parabéns a todos que estiveram envolvidos direta ou indiretamente neste filme lindíssimo!!

sábado, 17 de junho de 2017

Oi! Olá! Como vocês estão?
Por: Robson Caetano da Silva
 Recebi algumas respostas em relação ao texto que recebi do amigo Tom Farias, publicado por Benedita Silva falando sobre despacho, e vale ressaltar que, despacho onde há sacrifícios para exaltar Deuses africanos eram e 
continuam sendo utilizados, para agradecimento de graças alcançadas, e isso era uma pratica feita inclusive na região da Jordânia, Israel, Palestina, pelo povo Judeu, de onde temos os registros mais antigos das religiões cristãs, judaicas, e de onde vem um sincretismo gigantesco, que posteriormente se dividiu dando origem a tantas outras doutrinas.

 Por outro lado existiam sim as mães de jovens escravos que fugiam de seus feitores, donos de engenho, e que driblavam os homens da mata, que caçavam eles para tentarem devolve-los aos donos ou simplesmente abate los como caça mesmo, essa mães combinavam com seus filhos locais na mata onde seria deixado nos pratos de barro o alguidá, e que disfarçados de despachos como os de oferendas aos deuses, ou mesmo para afastar o mau, primeiro realizavam uma festa e depois se dirigiam a um ponto onde deixavam essas oferendas, mas que na verdade eram para seus filhos que, lutavam por liberdade, e que muitos dias percorreriam pela mata atlântica para encontrar um lugar seguro e montar suas aldeias de guerra chamadas de Quilombos, essa foi a estória que não considero para boi dormir, que minha Bisavó me contava, e que foi contada a ela pela minha tataravó, e minha tetravó.  
 Aqui uma resposta ao texto sobre despachos que recebi recentemente obrigado Lica Oliveira por me enviar esse texto que agora divido com vocês amigas e amigos do Antropólogo Marcelino Conti da UFF !!!
 Em meios aos ataques de racismo religioso, (as centenas  de casos de intolerância somada as centenas de leis municipais equiparando  as oferendas como   lixo, e a tentativa de criminalizar o sacrifício de animais em rituais das religiões de matriz africana) surge a estória pra boi dormir:  a “macumba” surgiu das  oferendas deixadas nas encruzilhadas para que os escravos fugitivos pudessem  se alimentar para aguentarem a fuga.
Como a estória  esta mal contada ela começa dizendo que um  “Professor Leandro”, que ninguém sabe o sobrenome, foi quem contou a grande novidade histórica, demonstrando  total desconhecimento de coisas básicas das religiões de Matriz Africana.
O Candomblé, umbanda, batuque, tambor de mina, e todas as outras ricas em diversidade, com uma  variedade de ritos e denominações locais,  combinadas com a tradição africana da qual procedem, que não podem ser generalizadas  como “macumba”.
O termo  Macumba, originariamente dá nome a uma espécie de árvore africana e também um instrumento musical utilizado em cerimônias de religiões afro-brasileiras.  Na primeira metade do século 20,  as igrejas cristãs e em especial as neopentecostais  numa estratégia de desqualificar  essas religiões   que consideravam profana,  começaram   a chama-las  genericamente de  macumba como uma forma pejorativa.
Dentro desta mesma lógica, os  despachos( trabalhos, ebós) na encruzilhada  ganharam fama de “macumba”  porque são uma das expressões mais visíveis dessas religiões fora dos templos, ilês, terreiros e roças.
As oferendas  de acordo com a “estória” contada é profana, nada tem de axé, nada tem de santo,  são homens  dando comidas pra outros homens.  tenta apagar a HISTORIA  que esses negros africanos expatriados, oriundos  de diversos pontos da África, faziam parte dos de nações, possuíam  culturas e língua propria , além, claro, das suas  divindades e formas de culto, e que trouxeram as suas crenças, as suas praticas religiosas e as receitas das oferendas, bem como os lugares que estas deveriam ser oferecidas aos orixás.
A natureza sempre foi o local  para as oferendas, as matas, florestas, cachoeira, rio, lagoa e praias,   os saberes trazidos de África ,  associava cada um dos orixás a um local, uma cor, um dia da semana e determinados tipos de comida.
As oferendas  nos caminhos e nas encruzilhadas, portanto nada tem haver com as fugas  de negros,   esses  lugares representam   simbolicamente a passagem entre dois mundos. O ponto de encontro entre o Profano e Sagrado,  é um espaço de  liminaridade, onde  não se  é uma coisa e nem outra, é  o encontro das partes, o inicio e o fim no mesmo ponto.
Essa estória da carochinha, tem  motivos subliminares, destaco um dentre outros, nos fazer  acreditar que as oferendas foram criadas por um motivo  profano, hoje  como não existem mais fugitivos,  poderemos trata-las como lixo, criminaliza-las ficará mais fácil.
Continuemos a  reverenciar aos nossos ancestrais e a nos ‘religar’ com os nossos orixás.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

DESPACHO.
Recebi esse texto postado pelas Benedita Silva, do meu amigo e escritor Tom Farias

Olha que interessante! Nunca tinha lido nada assim....

Sobre o DESPACHO:

"De acordo com um professor e historiador da UnB, as oferendas deixadas nas encruzilhadas eram uma forma de os negros alimentarem seus irmãos escravos que fugiam da violência, dos mal tratos e dos feitores.

Os pretos escolhiam lugares estratégicos por onde escravos fugitivos passariam e colocavam comida pesada - carne, frango e farofa - porque sabiam da fome e dos vários dias sem comer desses indivíduos; deixavam também uma boa cachaça pra aliviar as dores do corpo e dar-lhes algum prazer na luta cotidiana. As velas eram postas em volta dos alimentos para que animais não se aproximassem e consumissem o que estava reservado para o irmão em fuga.

Aí surgiu o que todos conhecem como "macumba nas encruzilhadas". O rito permanece até os dias atuais, sendo realizado pelas religiões afro como forma de agradecimento e pedidos aos seus ancestrais e em homenagem aos seus santos. A cultura branca e eurocêntrica foi quem desvirtou a prática, para causar medo, terror e abominação e reforçar os preconceitos e discriminações contra os negros.

(....) Gosto de saber que já houve tanta solidariedade neste nosso país e que as pessoas se preocupavam muito umas com as outras, a ponto de fazerem um esforço pra alimentarem alguém, mesmo sem conhecerem o seu rosto.