domingo, 26 de junho de 2011

Deslealdade, desrespeito, fazendo com que, a estória fosse outra para mim.


100 metros da tensão das alfinetadas e principalmente da deslealdade!!
video


 Durante muito tempo as pessoas me perguntavam qual o sentimento que eu tinha da prova dos 100 metros rasos em Seul na Coreia e sempre disse que se não fossem os dopados teria sido medalhista em duas provas nos jogos e minha vida teria tido outro rumo, com contratos melhores e uma vida espotiva e pessoal muito mais tranquila.

Nesta semifinal eu tive a certeza de que a batalha era contra atletas drogados, mas porque apenas um tinha que ser pego?? A resposta é simples numa olimpiada com norte Americanos fazendo marcas astronômicas como foi o caso de Flo Jo e do lendário Carl Lewis, era preciso que alguem pagasse a conta e acobertasse outros casos que seria revelados.
Infelizmente depois desta prova muita coisa mudou, para todos Ben Johnson admite em seu livro que usou drogas para melhorar a performance e disparou contra Carl Lewis que assumiu ter utilizado hormonio do crescimento, alias o time do Santa Monica Track Club era o quintal predileto dos laboratórios, pois eram nos atletas mais novos que as substancias era administradas e depois de saberem que tipo de efeitos colaterais e como utilizar sem causar danos maiores aos atletas é que Lewis era colocado a prova, e com a utilização do aparelho, para evitar a deformação da mandíbula é que ficou claro que todos do time comandados por Jou Douglas era usuários dos hormonios do crescimento.

A final mais tensa que já participei na vida foi a de Seul na Coreia, pois era o fim do boicote que começara em 1980, pelos americanos em Moscou e que passou pelos EUA, em 1984, e foi nessa que muitos atletas já estavam usando dopping.  E na foto pelo menos 3 estavam sob o efeito de drogas que aumentavam a força; melhorando a performance uma enormidade.
Me lembro de quando entramos na sala de chamada para a pista, que os ânimos estavam exaltados e que algo grande iria acontecer, e como eu estava mais preocupado com os 200 metros procurei observar cada finalista inclusive eu mesmo, numa espécie de auto-analise.

O primeiro que observei foi Lewis, que não parava de caminhar de um lado para o outro, e não fintava ninguém, afinal ele disse que desconfiava que tinham atletas dopados na final, só esqueceu de se incluir na lista.

O segundo foi Ben, que por incrível que pareça estava muito tranquilo, porem seus olhos estavam distantes daquela sala, como se pudesse prever o que faria, estava num grau de concentração tão grande que o estágio era quase de hipnose.

O outro foi Calvin Smith, que era o recordista da prova ate o ano anterior quando Ben quebrou o recorde em Roma no mundial correndo 9.83 seg, deixando os 9.93 de Calvin longe, e o americano estava com ar mais sóbrio.

Linford Cristie foi de todos o que mais sorria e deixava a tensão menos pesada, pois era franco atirador e nada tinha a perder, e como também estava no programa de teinamento junto com Ben johnson, Marc Mackoy dos 110 metros sobre barreiras, eu concluo que Charles Francis já tinha ministrado drogas ao Inglês.

Denis Mitchel Esse ainda era novo, mas o programa para uso de propriedades ilícitas se mostrou muito eficaz, tanto que ele foi pego muitos anos depois, mas estava uma pilha e emitia um som, com se estivesse colocando todo o ar para fora dos pulmões.

Desay Williams era do time de Ben e na foto era notório, que ele se beneficiara dos steroids, e se mostrava preocupado com algo, que não podia controlar e estava muito pensativo e por mais companheiro de Ben que fosse não trocou nenhuma palavra com ele até o momento de cumprimento-lo na linha de chegada.

Raymond Stewart era um dos que estavam correndo por fora, numa briga desleal entre dopados contra limpos, e a preocupação dele era manter o aquecimento, mas a tensão nele foi minando ele, tanto que se lesionou na prova, fazendo com que e perdesse contado com a prova.

E eu estava ali quase que um espectador da história de uma das provas mais emocionantes de todos os tempos, e num lugar que todos os profissionais de comunicação queriam estar. Eu perguntei ao Carlos Alberto Cavalheiro, meu técnico na época o que era tudo aquilo, e que estávamos na final e ele por sua vez apenas me pediu para correr tudo, mas não teve coragem de ver a prova de tanto nervosismo.


E o que tornou esta prova inesquecivel foram as trocas de gentilezas ao longo de três anos de disputas, onde ben vinha vencendo Carl e culminou com duas declarações polêmicas.

 A primeira partiu de Carl Lewis, pois quando perguntado ao final da prova em Zurich no retorno de Ben Johnson as pistas depois de passar por um período em Camberra na Austrália e curar uma lesão, que foi a seguinte: "Eu sou o mais rápido e sempre serei, e não vou perder o ouro para nenhum drogado".











A segunda foi a de Charles Francis técnico de Johnson, que já faleceu, quando disse já em solo Coreano; "Ben não vai perder para nenhum homossexual", o que causou um tremendo mal estar durante as eliminatórias. Então as faíscas e fagulhas de ódio um pelo outro foram tomando uma proporção gigantesca e eu me vi no meio disso tudo, participando de provas em que os dois quase se estapeavam.




Tom Telez que era técnico de Lewis o advertiu sobre suas declarações, e a resposta do técnico de Ben caiu como uma bomba sobre o super astro da velocidade Carlton Lewis e o mundo viu um duelo vencido por um atleta que admitiu o dopping, e outros que ao longo do tempo foram desmascarados e a verdade apareceu.

Então cabe a pergunta, cade a minha medalha??

    Eu sei de uma coisa essa estória do ben Johnson dizer que todos os atletas de velocidade usavam drogas ainda vai dar o que falar, pois é uma mentira e claro que assim como ele muita gente diz a mesma coisa, só que treinando no Brasil como eu sempre fiquei e tendo a vida disciplinada consegui chegar e competir contra eles e ate ganhar e digo isso com orgulho danado.

 Eu só fico triste de não ter trazido para o Brasil mais uma medalha, por conta do duelo injusto que tive que ter contra atletas drogados, e pior pelos contratos que deixei de fazer por conta dessa trapaça toda fora e dentro das pistas. Se sou o maior velocista que o Brasil já teve não sei, mas que fui o que mais treinou para fazer frente a esses absurdos isso eu fui!!!

                Um abraço do medalhista Olímpico Robson Caetano.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

23 de junho é o Dia olimpico então vamos nos mexer!!

 Vamos comemorar o dia Olímpico com muita atividade física, que pode ser co uma dança de salão, então seja malandro e leve sua companheira, esposa, namorada e vá balançar o esqueleto!!

Falando em esqueleto balançando, que tal uma caminhada, pois ela não mata e se possível um trotezinho bem leve pela manhã, para ficar bem para aguentar a patroa que vai querer dançar a noite toda..., ah não esqueça de se hidratar, e pra voce que esta treinando para enfrentar as corridas de rua utilize roupas claras e confortáveis.

Nada de preguiça e a partir de hoje tome uma atitude em relação aquela velha frase; "Na semana que vem eu começo", não faça isso e comece hoje agora!!!



Uma partidinha de squach cai bem neste feriadão bacana, mas não precisa ser com o multi-campeão Sul americano Alarcon, chame um visinho e vá dar umas raquetadas...rs..., ah o tenis também é uma opção bacana para hoje!!!







Que tal um futebol com os amigos para quem sabe fazer aquela jogada e lembrar do titulo do Santos na Libetadores 2011, por falar nisso parabéns Peixe da Vila Belmiro!!!



Andar de bicicleta pode ser uma boa opção, mas não precisa exagerar fazendo longos percurso, apenas curta um passeio com a família para que, sua frequência cardíaca suba um pouco e isso te traga uma dose de endorfina para te dar um pouco de excitação ao suar um pouco a camiseta!!

Ou então pegar a família e ir para um lugar calmo e tranquilo para bater uma bolinhas de golfe..., claro que se puder evitar o bunker fica melhor...,rsrs..









Mas acho que adrenalina mesmo é com o vôo livre, mas esse não dá para sair fazendo assim sem um curso, mas o que puderem tentem um vôo duplo que a adrenalina é a mesma. Uhuu!!!! Olha eu decolando ai em São Conrado.., cara é indescritível a sensação e olha que eu tinha fobia de altura!!!!!!!!!






Mas lembrem-se sempre de que a família toda tem que dar uma parada para descansar depois da maratona do dia olímpico, ou Olimpic Day e curta muito todos com muita atividade física.
 Valeu e fiquem com Deus eu vou pro Golfe e depois para o Volei de praia e depois tirar uma sonequinha depois do almoço em família!!!!!!!!!!!!

Robson Caetano.

domingo, 19 de junho de 2011

A minha vida esta uma verdadeira maratona, mas eu gosto muito, pois amo o que faço.

Foi muito bom ter ido a Beberie no Ceará, depois de uma maratona que começou em Bele'm no mês passado e segue por vários estabelecimentos de ensino, e ai na foto é o projeto Eporte na Minha Cidade da secretaria de esporte do Ceará.

E quer saber como eu fui apra esta cidade, então dá uma olhada no brinquedo qe me colcocaram um helicoptero que foi pilotado por uma comandante muito competente a Patricia, e junto estavam o Secretário de esporte Gony Arruda, o sub-secretário Marcio e o qase embaixador do Esporte na minha cidade Robson Caetano.

A aeronave
Eu no cockpit da aeronave e curtindo o visual.

videoO visual que inclui um campo de golfe no qual ja joguei, chamado Aquiraz condominio, e tem inclusive um video comigo pateando para o buraco 1 no campo. .

A chegada a cidade de Beberibe ...,  ai estão Marcio, Gony e Robson no Estadio da cidade.
Fiquem sempre bem e com Deus a gente vai se vedo por aqui e o facebook ou twiter!!!!
                                Robson Caetano

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Viajando pelo Brasil..,

Depois de passar por Belém do Pará e Rio de Janeiro para o projeto Heróis Olímpicos, Terezina para o projeto Olimpíada da Cidadania e Rio para o 23 congresso de medicina do esporte onde participei como convidado da bancada, agora estou em São Luiz do Maranhão para o Dia Olímpico.

Descobri que tudo na vida tem uma razão de ser e eu estou cumprindo uma tarefa árdua, que inclui horas de vôos cansativos, mas tudo isso vale a pena, pois o olhar de admiração de cada criança faz a diferença.

                                      Um forte abraço a todos, enquanto isso eu sigo viajando pelo Brasil, pois daqui eu vou a Fortaleza.

                                      Fiquem com Deus!!



                                                                                                                   Robson Caetano

 
,

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Agora é o fim.

Em jogo no Pacaebú coube ao Técnico Mano Menezes chamar Ronaldo Nazário o camisa 9 da seleção, que colocou definitivamente um ponto final, servindo a seleção brasileira e a emoção foi tamanha, que Ronaldo se comportou feito um menino estreante na seleção e estava mais difícil o jogo de ontem que qualquer outro jogo pela seleção, pois a ansiedade atrapalhou inclusive um cara que sempre tornou fácil a arte de fazer gols e jogar futebol, mas jogou com a mesma alegria e fez um povo esquecer feliz, e o pedido de desculpas deveriam ter sido dados por todos nós a um atleta que doou a vida ao futeol e se ficou rico com isso melhor, pois merece, e o gordinho se foi e arrastou um time que enquanto ele esteve em campo jogou melhor, pois ele promove essa energia em campo.

 A coisa mais difícil é a despedida e quando essa despedida é uma despedida de uma nação como a brasileira a gente começa a entender a importâcia que tem e o impacto que isso causa nos dois lados, pois queremos continuar, mas o corpo já não consegue acompanhar a cabeça.
Foto Fernando Dantas.
O Fenômeno agora se despediu de verdade, pois a camisa verde a amarela é de certa forma muito mais intenso, pois a vida de um atleta de alto-nível é a de um pop star e deixar isso é dificil, pois quando se veste a camisa, ou coloca a touca, ou veste a camiseta, o bodysuit, enfim seja ele qual for o uniforme, com as cors d Brasil tudo se torna mais fácil na vida do atleta.

Bom é o final de uma geração de goleadores e de uma safra que anda meio em baixa no Brasil, e se eu tivesse que dar uma dica para o ronaldo, aqui da empresa de gerenciamento de carreira R&C Produçoes seria o seguinte: Procure a partir de agora proteger mais a familia, e procure nao cometer mais erros que são comuns quando atleta, pois agora não existe mais o atleta para salvar a carreira dando a volta por cima, e se não tem atleta, não tem performance e se não tem performance, não tem mais o público para fazer a tão famosa pressão populr, com suas opiniões, para mudar tudo.



                        Um frte abraço e fiquem com Deus!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

A nova cara da velocidade no Brasil

Os velcistas do Brasil deram um show mais uma vez vencedo o revezamento 4/100 metros msculino com Sandro, Ailson, Nilson e Pio vitoria brasileira na Argentina e a dnaça do voce arrancou muita risada dos presentes.

 Valeu galera.

O que tem me chamado a atenção é como a Colombia esta evoluindo no atletismo superando inclusive los hermanos Argentinos!!!
Se Liga Brasil nos Colombianos!!!!!


 Robson Caetano

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Esporte Fantastico é 100.

Neste sábado a partir das 10 da manha vale a pena conferir o Esporte Fantástico, o programa completa sua edição de numero 100 com o comando da amiga Milena Ceribelli e alem dela na foto ainda estão Luza, Cláudia, Fernando, Rogério, Paula, Virna e Robson que time ficou faltando o fanfarrão do Oscar que esta em casa se recuperando de uma cirurgia muito séria, mas que em breve estará conosco com seu jeitão engraçado e espalhafatoso.
Fiquem com Deus um forte abraço e até lá!!

          Robson Caetano.